Dia de Campo marca a abertura da safra da uva em Sarandi
18/12/2017 - 14h12 em EMPRESARIAL

Para marcar o início da colheita da uva no município de Sarandi, a Emater/RS-Ascar, Prefeitura Municipal de Sarandi, através da Secretaria da Agricultura, Sintraf e Cotrisal, promoveram, na quinta-feira (14/12), um Dia de Campo da Viticultura. O evento, realizado na propriedade da família Zardo, na Linha Cocho, interior do município, reuniu mais de cem participantes, entre produtores, técnicos e lideranças.

A viticultura ainda é uma atividade expressiva para o município de Sarandi. Atualmente, 55 produtores estão envolvidos na atividade, produzindo em 105 hectares de uva, com uma produtividade média de 20 toneladas por hectare. Mas essa produção já foi maior. No passado, a atividade da viticultura em Sarandi já chegou próximos aos 500 hectares. Portanto, as entidades uniram-se e estão promovendo ações como esta para incentivar a atividade e qualificar os produtores. 

A viticultura é uma alternativa de geração de renda, promove a sucessão rural e contribui para a qualidade de vida das famílias do campo. Para a família Zardo, anfitriã do evento, a viticultura representa, além do sustento, um modo de vida escolhido pela família. "São quase 40 anos cultivando uva. Sempre nos mantivemos em cima disso. Essa propriedade é minha e do meu irmão e vimos que com o grão, soja e milho, não daria pra nos manter com apenas 11 hectares. Por isso, partimos para a videira. Hoje, temos sete hectares no total. Estamos investindo em parreiral coberto para uva de mesa. Escolhemos essa atividade e estamos sempre investindo", contou o produtor, Adelino Zardo, fazendo referência aos novos investimentos da propriedade, que é a primeira na região a implantar parreirais cobertos.

De acordo com engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Luciano Schwerz, a intenção para a realização do evento foi de fomentar atividade e estimular a região, na tentativa de retomar a atividade da viticultura, apresentando as novas tecnologias que estão sendo empregadas no cultivo, a exemplo da família Zardo, para fortalecer o trabalho da Assistência Técnica e dos produtores. "Essa é mais uma ação desse trabalho que visa reconstruir a viticultura. Esse é o início de uma caminhada para a retomada dessa atividade de grande potencial do nosso município e da região", afirmou Luciano. 

O gerente adjunto do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, Mario Coelho da Silva, participou do Dia de Campo e reconheceu a importância dessas ações para fomento da atividade. "Sarandi é um exemplo e o município deve ser parabenizado por isso. A uva é uma cultura permanente e sua produção tem inúmeras vantagens, é uma alternativa de geração de renda para as famílias, proporciona a sucessão e traz qualidade de vida para quem mora no meio rural", comentou o gerente.

O prefeito em exercício de Sarandi na ocasião, Glauber Kunzler, ressaltou a importância dos produtores participarem do evento em busca do conhecimento para, posteriormente, aplicarem em suas propriedades. Glauber destacou ainda algumas ações que a Prefeitura vem realizando para contribuir com as cadeias produtivas do município, como a viabilidade de infraestrutura e de recursos, aquisição de máquinas, para atender as necessidades das comunidades e das famílias do município, especialmente, do meio rural.

Após o ato simbólico para marcar a abertura da colheita da uva, os produtores que participaram do Dia de Campo puderam acompanhar cinco estações preparadas com diferentes temas ligados à viticultura. O engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Jorge Buffon, explicou aos produtores sobre renovação e implantação de pomares para alta produção. 

Buffon deixou algumas dicas importantes para os produtores, como a necessidade de controlar as doenças de final de ciclo, no pós-colheita, mantendo as filhas sadias, a formação de reservas e o plano da futura safra. Da mesma forma, segundo ele, é preciso controlar as cochonilhas e outros parasitas de inverno, musgos, fungos de tronco, fazer a limpeza do lenho, realizar as podas e manejo de inverno, com a retirada dos ramos danificados, fazer a fertilização correta e o estímulo da brotação de primavera, e ter o controle residual das doenças após o início da brotação.

O técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar de Planalto, Doraci Bedin, ficou responsável por uma estação e falou sobre o cultivo protegido em videira. De acordo com o técnico, os fatores que determinam a produção são o clima, os tratos culturais, a nutrição mineral, a disponibilidade hídrica e a presença de pragas e doenças. 

Bedin explicou como funciona a estrutura de um sistema de cultivo protegido e quais os fatores que incidem direta e indiretamente. Alguns cuidados são específicos para esse tipo de cultivo, como a poda verde, não permitir que galhos e folhas fiquem desprotegidos, ter no mínimo quatro folhas a partir da folha do cacho, e saber que o resultado da aplicação dos tratamentos tem efeito triplicado.

Outros temas também foram abordados durante o Dia de Campo, como manejo fitossanitário da videira, manejo nutricional, manejo fisiológico e o uso de Trichoderma na viticultura.

 

Jornalista Marcela Buzatto

Fotos - Joel De Brito
COMENTÁRIOS