Os desafios das Startups para se consolidar no mercado
07/03/2018 - 14h17 em EMPRESARIAL

Os desafios das Startups para se consolidar no mercado

Thaís Cornelli Moreira

O Parque Científico e Tecnológico UPF Planalto Médio (UPF Parque), promoveu nessa última terça-feira (6), o III Fórum de Inovação e Empreendedorismo tendo como pauta os modelos e desafios das Startups.  O UPF Parque tem como objetivo integrar os acadêmicos proporcionando a eles a prática com o mundo empresarial e que eles possam compartilhar suas ideias e criações.

O primeiro palestrante Gustavo Moreira do Sebrae, apresentou o tema: Incentivos para as startups, ações e atividades. Define-se startup como o ato de começar algo novo, normalmente relacionado com companhias e empresas que estão no início de suas atividades e que buscam explorar atividades inovadoras no mercado. Há no mercado atualmente, uma onda de pensamento de que as startups poderiam estar chegando ao fim, decorrente da idéia de que o “movimento” estaria a favor das grandes empresas, já consolidadas.

Essa perspectiva se daria diante de que os jovens preferem trabalhar em grandes empresas a criar uma nova. Mas, é notório, que grandes empresas buscam muitas vezes soluções e novas criações nessas pequenas empresas, pois as grandes necessitam de inovações e as pequenas empresas necessitam de investimento, criando assim uma rede de apoio para ambas. Esses novos modelos de empreendedorismo deparam-se com desafios desde sua criação, desafios tecnológicos, levando em conta que para as startups tecnologia muito avançada é um problema, devido ao seu porte. O crescimento dessa empresa também pode causar alguns conflitos internos, pois em muitos casos não há uma preparação dos seus criadores.

Já Eduardo Israel, segundo palestrante tratou sobre o tema Experiências e atividades com inovação e empreendedorismo, ressaltando a importância de internacionalizar as startups, ou seja, de tornar essas empresas recém criadas e que se encontram em fase de desenvolvimento, em empresas globais. Mas é importante lembrar que esse processo deve ser pensado antes mesmo da criação da empresa, para que não haja problemas posteriores.

A internacionalização demanda preparação que combina técnica, financiamento, marketing, alianças estratégicas, entre outros fatores. Sendo também muito importante e necessária, tendo em vista as limitações ainda existentes no mercado brasileiro, e a necessidade de melhorar a performance empresarial, podendo assim alcançar um maior desenvolvimento tecnológico e aumentar a capacidade de inovação.

COMENTÁRIOS